06 de julho

GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais
18/02/20 às 16h53 - Atualizado em 18/02/20 às 16h53

Obra de alargamento do viaduto de Taguatinga passa por ajustes finais

A obra de alargamento do viaduto da Estrada Parque Taguatinga Guará (EPTG) e da Estrada Parque Contorno (EPCT) está em fase final. Prestes a ser entregue à população, o local recebeu plantio de grama e pintura de meio-fio nesta terça-feira (18). Essa etapa antecede a pintura das faixas e a sinalização vertical e horizontal, programadas para os próximos dias. Após esses serviços ela estará liberada para o tráfego.

Nesta terça (18), a Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap) finalizou a manutenção do gramado nos arredores do viaduto e a poda e manutenção das árvores. O trabalho envolveu 20 profissionais e foi realizado em 160 horas. Equipes do Serviço de Limpeza Urbana (SLU) pintaram os meios-fios, enquanto a Administração Regional de Taguatinga fez a limpeza dos canteiros e o trabalho de tapa-buraco nas proximidades do viaduto.

O Departamento de Estradas de Rodagem do DF (DER/DF), por sua vez, fará a sinalização do local esta semana. Ainda em janeiro, a Companhia Energética de Brasília (CEB) instalou novos postes de iluminação – todos de LED – abaixo da estrutura do viaduto. Resultado de mais uma ação integrada de governo.

“Essa obra ficou parada por muito tempo. Ela é um resgate do nosso governo, que pegou o serviço com 25% de conclusão e em poucos meses fez os outros 75% da obra. É um desafogo para o trânsito da região, diminui muito aquele estrangulamento que ocorria no viaduto”, aponta o secretário de Obras, Luciano Carvalho.

Com investimento de R$ 5.155.676,09, a nova configuração do viaduto vai beneficiar os mais de 135 mil condutores que trafegam diariamente por Taguatinga, Ceilândia e região. A via terá 11 faixas de circulação, sendo cinco no sentido Taguatinga/Plano Piloto e quatro no sentido Plano Piloto/Taguatinga, além de duas centrais para ônibus.

As faixas vão ter entre 3,5 metros, destinada aos veículos, e 4 metros para os ônibus. Vale lembrar que, mesmo com o alargamento, a velocidade nesse trecho da via não será alterada, sendo mantida em 60 km/h.

Na antiga formatação, os dois viadutos tinham 60 metros de extensão, com três faixas em cada sentido, totalizando 20 metros de largura. Agora, com os viadutos unificados, eles passam a ter 41,80 metros de largura, além de mais faixas disponíveis, melhorando o tráfego na região. Todo esse serviço envolveu 220 toneladas de aço, 2 mil metros cúbicos de concreto e 35 funcionários.

A obra foi retomada pela atual gestão em junho de 2019 com o compromisso do Governo do Distrito Federal de entregá-la o quanto antes para a população. O serviço estava paralisado desde abril de 2018 por falhas no projeto executivo.

Importante para a mobilidade, o alargamento do viaduto de Taguatinga é apenas uma das obras para a região. O GDF já licitou a revitalização do trecho III da Avenida Hélio Prates e autorizou a licitação da supervisão da obra do túnel de Taguatinga e do Estudo de Impacto de Vizinhança (EIV) do túnel de Taguatinga. Os dois projetos fazem parte de um pacote de obras no valor de R$ 538,5 milhões.

Tanto o viaduto como o túnel de Taguatinga e a revitalização da Hélio Prates fazem parte do Corredor Eixo-Oeste, que terá 38,7 quilômetros de extensão e ligará Ceilândia e Sol Nascente/Pôr do Sol ao Plano Piloto (Eixo Monumental e Estação Asa Sul), passando por Taguatinga.

Com informações da Agência Brasília

Mapa do site Dúvidas frequentes Comunicar erros