06 de julho

GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais
10/02/20 às 8h52 - Atualizado em 10/02/20 às 8h52

Taguaparque volta às origens: ser espaço de lazer

No lugar do lixo e do entulho, haverá duas quadras de areia e 200 mudas de plantas nativas e frutíferas. A vigilância também ficará em estado de alerta para evitar novos descartes de inservíveis. A churrasqueira, a cascata e a quadra do ginásio também passam por reforma. Desta forma, o Taguaparque começa a recuperar a finalidade com a qual foi criado: de espaço destinado ao esporte e lazer da comunidade de Taguatinga e Vicente Pires.

O tempo chuvoso deu uma atrasada nos serviços – mas, no geral, eles estão bem adiantados. A bola do futebol de areia, por exemplo, está a apenas a um dia ensolarado para rolar. Os caminhões com a terra especial serão derramados tão logo a chuva dê uma trégua. 

Por enquanto, quem já está por lá mesmo são as traves que farão ainda mais a alegria dos atletas de plantão. As balizas já chegaram e aguardam somente a implantação dos outros equipamentos para tomarem seu lugar numa extremidade e noutra.

Depois que tudo estiver em seu devido lugar, a Companhia Energética de Brasília (CEB) deverá instalar postes em torno das quadras para que o esporte ali não pare nem mesmo ao cair da noite.

Mas nem só para atrapalhar vive a chuva. O período é bom para que as 200 mudas de Ipê, Pau Brasil, Pequi, Abacate, Acerola e Jabuticaba cresçam até ganhar caule e folhas fortes. Dezenas de mudas foram plantadas neste sábado (8/2) no local onde floresciam apenas lixo e entulho jogados. 

 “Essas melhorias vão evitar que carroceiros voltem a jogar lixo ali”, acredita o administrador de Taguatinga, Geraldo César, que contabiliza experiências bem-sucedidas com a implantação de equipamentos esportivos em lugares antes tomados pelo lixo. “No Setor de Oficinas Norte, há um ano não colocam lixo lá”, emenda.

Responsável por gerir o Taguaparque, Daniel Leite afirma que as melhorias nas instalações do parque serão concluídas brevemente. Ele conta que a churrasqueira estava desativada havia quatro anos. E, agora, ganha piso, pintura e telhado novos. Tudo isso para acomodar ainda melhor o frequentador do espaço. “Estamos trabalhando para deixar esse parque melhor do que encontramos. A comunidade vai ser orgulhar de viver aqui”, vaticina.

Freqüentador assíduo do Taguaparque, o pizzaiolo Edson Barbosa Fernandes, 43 anos, está empolgado com as benfeitorias. Apesar de preferir a corrida, ele garante que irá jogar futebol de areia nas novas quadras. “Temos de cuidar do parque. Ele é da comunidade”, disse o morador de Vicente Pires.

Com informações da Agência Brasília

Mapa do site Dúvidas frequentes Comunicar erros